Banco da Família e Water.org fecham acordo que vai beneficiar 8,5 mil famílias sem acesso a saneamento básico

Por All Press Com

Instituição irá liberar R$ 24,5 milhões, enquanto ONG americana fará aporte de U$ 330 mil.

Instituições unidas pelo saneamento básico

Uma parceria entre o Banco da Família e a Water.org, organização norte-americana sem fins lucrativos, vai oferecer crédito para que 8,5 mil famílias em situação de risco tenham acesso à água tratada e instalações sanitárias. É a primeira parceria firmada no Brasil pela WaterCredit, da Water.org, instituição não governamental fundada pelo ator Matt Damon e o engenheiro Gary White, voltada a garantir acesso a saneamento básico em regiões empobrecidas.
Com 19 unidades e atendendo mais de 70 munícipios em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, o Banco da Família ocupa o primeiro lugar no Brasil e o quarto lugar no ranking das instituições de microfinanças da América Latina e Caribe, segundo a Microrate. Na parceria, caberá à instituição liberar uma linha de crédito de R$ 24,5 milhões, enquanto a Water.org aportará US$ 330 mil. Para ter acesso aos recursos, as famílias não precisam comprovar renda. Estima-se que 33,6 mil pessoas sejam beneficiadas.
Segundo a empresária Isabel Baggio, presidente do Banco da Família, a falta de saneamento básico levou a instituição a formatar produtos específicos. “Temos linha de crédito específica para atender famílias que precisam de dinheiro para comprar caixas d´água, biodigestores, fossa séptica, material elétrico, tinta – enfim tudo que é necessário para construir ou reformar instalações hidráulicas e sanitárias”, disse.

A criação do projeto

Para formatar o projeto, o Banco da Família fez uma pesquisa em seis cidades: Lages, Caçador e Palhoça, em Santa Catarina, e Caxias do Sul, Tramandaí e Passo Fundo, no Rio Grande do Sul. A partir daí, foram mapeadas as maiores necessidades da população e formatados os valores, taxas e prazos de pagamento dos empréstimos.
Os agentes de crédito que já atuam na oferta do microcrédito do Banco da Família foram escalados para visitar as famílias, conversar e identificar a carência das instalações de saneamento e água. Todos foram treinados pelo Instituto Trata Brasil, que desenvolve projetos em comunidades vulneráveis em todo o país. A equipe recebeu capacitação para identificar a necessidade da família visitada, além de técnicas de abordagem e sensibilização.
“A pessoa viveu tantos anos com o esgoto aberto passando do lado da sua porta e acaba pensando que isso é normal. O papel do agente de crédito é sensibilizar esta família, propor soluções, apoiar e conscientizar essas pessoas de que não é natural que os filhos tenham diarreia três ou quatro vezes por mês. É importante mostrar que este é um problema que impacta no desenvolvimento físico e mental das crianças, afeta a família e toda a comunidade”, diz Geórgia Schmidt, Diretora Administrativa do Banco da Família.

A situação brasileira

A escassez de infraestrutura de saneamento é um problema social grave no País. Segundo o Instituto Trata Brasil, o País registra centenas de milhares de casos de internação por diarreias todos os anos (400 mil casos em 2011, sendo 53% de crianças de 0 a 5 anos). Além disso, o BNDES estima que 65% das internações de crianças com menos de 10 anos sejam provocadas por males oriundos da deficiência ou inexistência de esgoto e água limpa. O problema também impacta no desempenho escolar, pois crianças que vivem em áreas sem saneamento básico apresentam 18% a menos no rendimento escolar.